Atendimento Telefônico de Segunda à Sexta

Loja: (34) 3316-0188 7h às 17h

Consultório: (34) 3316-0042 8h às 11h e 13h15 às 18h

  •  MAGNÉSIO  DIMALATO  300MG - 60 CÁPSULAS

MAGNÉSIO DIMALATO 300MG - 60 CÁPSULAS

  • Modelo: 046
  • Situação: Disponivel
  • R$ 69,00

1.Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.

2.Imagens meramente ilustrativas.

3.Pessoas com hipersensibilidade à substância não devem utilizar o produto.

4.Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar o fitoterapeuta.

5.Não use o produto com o prazo de validade vencido.

6.Manter em temperatura ambiente (15 a 30ºC). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o produto se manterá próprio para o consumo, respeitando o prazo de validade indicado na embalagem.

7.Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.

8.Este produto não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação de um fitoterapeuta.

9.Embora não existam contra-indicações relativas a faixas etárias, recomendamos a utilização do produto para pacientes de idade adulta.

10.Siga corretamente o modo de usar. Não desaparecendo os sintomas, procure orientação do fitoterapeuta.

11.O uso do produto durante o período de amamentação também não é recomendado.

12."SE PERSISTIREM OS SINTOMAS, O TERAPEUTA DEVERÁ SER CONSULTADO".

AVISO IMPORTANTE!

Por se tratar de Produtos Naturais os resultados podem variar de indivíduo para indivíduo, sendo gradativo para uns e mais rápido para outros. Portanto, o terapeuta Ivandélio Sanctus não aconselha que interrompa nenhum outro tratamento sem o conhecimento do seu médico.

Procure sempre uma orientação de profissionais qualificados!


COMPOSIÇÃO:

Magnésio dimalato 300MG


O Dimagnésio Malato é composto por duas moléculas de magnésio e uma de ácido málico; os dimetais malatos são um constituinte habitual do organismo, sendo um dos elementos fundamentais do ciclo de Krebs.

 

Absorção / Biodisponibilidade

 

A sua biodisponibilidade foi comparada com o óxido de magnésio através de um estudo randomizado, duplo-cego, conduzido no Canadá. Os participantes receberam 150 mg de magnésio como Dimagnésio malato ou óxido de magnésio. Amostras de sangue foram obtidas antes do tratamento e 1, 2, 3, 4 e 8 horas após a administração do mineral. Os resultados mostraram que as concentrações séricas de magnésio foram significativamente maiores nos sujeitos que receberam Dimagnésio malato comparados àqueles do grupo de óxido de magnésio.

 

Utilização

 

O ácido málico, constituinte natural de diversas frutas e vegetais, está envolvido na produção de energia em condições aeróbicas e anaeróbicas (Abraham e Flechas, 1992), sendo que em hipóxia (baixo teor de oxigênio), este melhora a produção de energia em fibromiálgicos, revertendo os efeitos negativos observados nesses pacientes.

O magnésio é um nutriente essencial como cofator em mais de 100 reações enzimáticas, necessário para a síntese de gorduras, proteínas e ácidos nucléicos, para a geração de novas células, para o relaxamento muscular, para o metabolismo de vitamina D e para a regulação da pressão sanguínea. Também desempenha um papel importante na manutenção da integridade óssea, bem como no metabolismo da ATP (Monteiro e Vannuchi, 2010).

Como o magnésio e o ácido málico são utilizados na síntese de ATP em condições aeróbicas e anaeróbicas, estes nutrientes são essenciais para indivíduos que buscam maximizar sua produção de energia e, assim, melhorar seu desempenho em atividades físicas, bem como para pacientes com fibromialgia, como relatado em literatura. A fibromialgia é uma síndrome dolorosa, crônica, de caráter não-inflamatório, que se manifesta no sistema músculo-esquelético. Esta envolve o distúrbio de modulação central da dor e o sintoma presente em todos os pacientes é a dor difusa que acomete o esqueleto axial e periférico (Turan et al, 2009; Siena e Marrone, 2010).

Considera-se que a diminuição do fluxo sanguíneo sob pontos sensíveis, diminuição de ATP e da hipóxia local sejam importantes no desenvolvimento dos sintomas (Turan et al, 2009). O tratamento da fibromialgia tem como objetivo o alivio da dor, a melhora do condicionamento físico e da fadiga. Como a etiologia da fibromialgia ainda é desconhecida e parece estar associada a muitos fatores e preditores, acredita-se que o estresse oxidativo e/ou desequilíbrio do status de alguns nutrientes possam desempenhar um papel importante nesta síndrome (Sakarya et al, 2011).

Como o tratamento medicamentoso é insuficiente para a maioria dos pacientes, deve ser adotada uma abordagem multidisciplinar, como, por exemplo, o cuidado com a alimentação (Siena e Marrone, 2010). O aumento do consumo de magnésio ajuda a diminuir os espasmos musculares e impulsos nervosos, importantes nas contrações musculares (Siena, 2010). Segundo Turan et al (2009), alguns estudos sugerem que os níveis de magnésio em pacientes com fibromialgia são abaixo do normal e, ainda, que a terapia com o magnésio combinado com o ácido málico, foi efetiva na melhora do dor e do número de tender  points em pacientes.

No estudo de Abraham e Flechas (1992), 15 pacientes com fibromialgia receberam doses orais de ácido málico e de magnésio por 8 semanas. Os scores dos tender points foram de 19,6 no baseline e de 8,1 e 6,5 após 48 horas de suplementação. Para o grupo placebo, estes valores aumentaram para 21,5 e foram relatados dores musculares nas 48 horas após administração do placebo.

Russel et al (1995) observaram que, entre pacientes fibromiálgicos que receberam ácido málico e magnésio por 6 semanas, a suplementação promoveu reduções significativas na severidade de todas as dores primárias avaliadas. Outro benefício da suplementação com magnésio á a proteção contra cãibras musculares. O magnésio age em conjunto com o cálcio para manter o funcionamento normal dos músculos. Em situações onde ocorre depleção de magnésio, há uma elevação de cálcio intracelular e, visto que este exerce papel importante na contração, tanto da musculatura lisa como da esquelética, um quadro de carência de Magnésio pode resultar em cãibras musculares, hipertensão e vaso-espasmos coronarianos e cerebrais (Mafra e Cozzolino, 2005).

De fato, Roffe et al (2002) observaram que a suplementação com 300 mg de magnésio em indivíduos que sofriam de cãibras regulares reduziu de 16 episódios para 4 após três meses de tratamento. Dentre os participantes, 67% e 39% relataram ter menos ou não ter cãibras, respectivamente. Os autores comprovaram que o uso de magnésio é efetivo na redução de cãibras noturnas.

  

Conclusões

O Dimagnésio malato  oferece, em uma única molécula, os nutrientes magnésio e ácido málico, essenciais para a síntese de ATP. Estudos comprovam uma biodisponibilidade superior e redução dos efeitos colaterais indesejáveis e comuns em outras fontes de magnésio.



ATENÇÃO: TODOS OS PRODUTOS AQUI APRESENTADOS SÃO DE VENDA LIVRE, OU SEJA NÃO É NECESSÁRIO RECEITA.
AS IMAGENS SÃO MERAMENTE ILUSTRATIVAS. OS PRODUTOS NÃO EXISTEM NO ESTOQUE, SÃO PRODUZIDOS EM LOCAIS DEVIDAMENTE LEGALIZADOS E DE FORMA INDIVIDUALIZADA.

Especificações Gerais
Conteúdo Frasco com 60 cápsulas
Modo de Usar 01 cápsula 2 vezes ao dia
Validade 180 dias

Escrever Comentário

Por favor faça seu Login ou Cadastre-se para faze um comentário.


Tags: MAGNÉSIO DIMALATO 300MG 60 CÁPSULAS, magnésio dimalato, Ivandélio sanctus, Uberaba, Iridólogo, Fibromiálgico.