Atendimento Telefônico de Segunda à Sexta

Loja: (34) 3316-0188 7h às 17h

Consultório: (34) 3316-0042 8h às 11h e 13h15 às 18h

Febre - Você comete esse erro comum quando seu filho está enfermo?

UM ARTIGO SOBRE A FEBRE Você comete esse erro comum quando seu filho está enfermo? Artigo comentado do Dr. Joseph Mercola A febre é uma das razões principais que levam os pais a procurar os médicos de seus filhos, e é verdade que qualquer febre em uma criança de menos de 3 meses é motivo de grande preocupação, uma vez que existe o risco de infecções bacterianas graves. Além disso, uma criança que tem uma convulsão com febre deve ser examinada por um médico, pelo menos na primeira ocorrência. No entanto, a febre é realmente um sinal de que um sistema imunológico está funcionando bem e em crianças mais velhas não parece ser particularmente angustiante, a febre é um sinal positivo. É prova que a criança tem um sistema imunológico ativo. A febre não prejudica seu cérebro nem seu corpo, embora ela aumente sua necessidade de líquidos. Os pais, entretanto, não são as únicas pessoas que podem tornar-se excessivamente preocupadas, de acordo com o New York Times: "Outros estudos têm examinado as atitudes entre o pessoal médico, que pode parecer tão aflito com a febre quanto os pais... Um pouco dessa fobia vêm de médicos e enfermeiros." Fontes: Descrição: http://articles.mercola.com/themes/mercola/images/bullet.gif JAMA 30 de novembro de 2010; 304 (23): 2595 2602 Descrição: http://articles.mercola.com/themes/mercola/images/bullet.gif Pediatria de Junho de 2001 Vol. 107 no. 6, pp. 1241-1246 Descrição: http://articles.mercola.com/themes/mercola/images/bullet.gif New York Times, 10 de Janeiro de 2011 São altas horas da noite e seu filho acorda com uma febre. Para muitos pais, este cenário solicita uma ida ao serviço médico e uma reação imediata para reduzir a febre tão rapidamente quanto possível, muitas vezes usando um antipirético (medicamento para reduzir a temperatura). Mas é a febre do seu filho realmente um motivo de preocupação e reduzi-la é a melhor escolha? Na maioria dos casos, uma febre simples é realmente um sinal de que o sistema imunológico de seu filho está funcionando no seu melhor. Praticamente todos os animais naturalmente desenvolvem febre quando eles estão lutando uma doença bacteriana ou viral, e esta resposta ocorre porque melhora a capacidade do seu corpo para se livrar do problema. Assim em muitos casos, reduzir uma febre não é apenas desnecessário, como isso realmente pode prejudicar o processo de recuperação do seu filho, prolongando a doença, em vez de resolvê-lo mais rapidamente. Lembre-se de que a febre não é algo a temer. Há boa evidência de que a febre na verdade serve como um saudável estímulo para desenvolver um forte sistema imunológico e normalmente quanto maior a febre melhor o estímulo. Algo como levantar pesos quando se usa pesos mais pesados normalmente produzem mais crescimento muscular. Academia Americana de Pediatria não recomenda o uso de medicamentos antifebris A Academia Americana de Pediatria (AAP) reconhece que a febre não é uma doença, mas um sinal de que seu corpo está fazendo o que é suposto fazer para combater uma infecção. Eles recomendam: "Febre não é uma doença, em realidade, ela é um sintoma da doença e é normalmente um sinal positivo de que o corpo está lutando contra a infecção". A AAP também não recomenda tratar seu filho com medicamentos antipiréticos, mesmo com temperaturas mais elevadas. Está afirmado em seu site oficial: "As febres geralmente não precisam ser tratadas com medicamentos, a menos que seu filho esteja muito desconfortável ou tenha uma história de convulsões febris. A febre pode ser importante para ajudar seu filho a combater a infecção”. “Temperaturas ainda mais elevadas não são em si perigosas ou significativas a menos que seu filho tem um histórico de convulsões ou uma doença crônica. Mesmo que seu filho tenha uma história de convulsões relacionadas com febre, mesmo ao tratar a febre com medicação, eles ainda podem ter este tipo de sintoma... Se ele continua se alimentando, e dormindo bem e tem períodos de bem estar, ele provavelmente não precisa de qualquer tratamento.” Os benefícios da febre Quando um organismo invade seu corpo, provoca a liberação de pirogênio, uma substância que sinaliza para o hipotálamo no cérebro para elevar a temperatura do seu corpo. Isso é feito através de um número de diferentes mecanismos, incluindo: • Arrepios • Liberação de hormônio TRH • Aumentar a sua taxa metabólica • Restrição do fluxo de sangue para a pele para minimizar a perda de calor • Pilo ereção (ereção de pequenos pêlos), que suprime a transpiração (o suor é um mecanismo de resfriamento) A febre, por sua vez, inicia uma série de processos corporais benéficos que direta ou indiretamente ajudam a repelir bactérias ou vírus invasores. Alguns destes benefícios incluem: • Aumento de anticorpos - células treinadas especificamente para o ataque ao tipo exato de invasor que seu corpo está recebendo • Mais células brancas do sangue são produzidas para ajudar a combater os invasores • Mais interferon, uma substância antiviral e anticâncer natural, é produzido, o que ajuda a bloquear a propagação de vírus para células saudáveis • Redução do ferro sérico, que tem efeito inibidor para bactérias • O aumento da temperatura mata diretamente micróbios (a maioria das bactérias e vírus realmente crescem melhor em temperaturas inferiores do corpo humano) • Melhor capacidade de certas células brancas do sangue de destruir bactérias e células infectadas • A febre também prejudica a replicação de muitas bactérias e vírus É raro que uma febre aumento superior a 40 graus, e desde que seu filho não pareça angustiado, não há nenhum mal em deixar uma febre em seu curso. Tenha em mente também que as febres tendem a picos no final da tarde e à noite, assim um ligeiro aumento na febre durante este período não é necessariamente motivo para alarme. Por que os remédios para reduzir a febre são normalmente desnecessários e até prejudiciais Como mencionado anteriormente, na maioria dos casos, que você deve evitar dar remédios para seu filho para reduzir a febre, como estes medicamentos geralmente só suprimem os mecanismos naturais de cura da febre e prolongar a doença. Na verdade, o artigo: Febre em crianças – Uma bênção oculta (Fever in Children - A Blessing in Disguise), originalmente impresso na Mothering Magazine que definitivamente vale a pena ser lido se você tiver crianças pequenas em casa, apresenta vários estudos apoiando o fato de que reduzir a febre realmente prolonga a doença: • Um estudo de adultos com resfriados constatou que a aspirina e paracetamol suprimiram a produção de anticorpos e aumentaram sintomas da gripe, com uma maior tendência de contágio. • Em um estudo de crianças com varicela, o acetaminofeno prolonga as coceiras e o tempo de erupção em comparação com o uso de placebo como tratamento. • Em estudos de tubo de ensaio, níveis terapêuticos de aspirina suprimiram a capacidade das células brancas do sangue humano de destruir bactérias. • Outro estudo descobriu que uma gama de analgésicos, incluindo a aspirina e ibuprofeno, inibiu as células brancas na produção de anticorpos em até 50%. Estes medicamentos também levar a riscos de efeitos colaterais, incluindo problemas de fígado com acetaminofeno, dor de estômago com Ibuprofeno e síndrome de Reye com aspirina (recomenda-se que para crianças com menos de 19 anos não ser dado aspirina quando têm febre, devido à relação com a síndrome de Reye). Lembre-se: o objetivo da febre é estimular o sistema imunológico e criar um ambiente inóspito para organismos, essencialmente elevando a temperatura o suficiente para que os micróbios invasores não possam viver. Assim sempre que você baixar uma febre artificialmente você está tornando seu corpo mais hospitaleiro para os patógenos invasores. Reduzir uma febre com medicamentos também mascara os seus sintomas, o que pode levar ao retorno às suas atividades normais mais rapidamente, quando seu corpo pode ainda se beneficiar em repouso adicional. Quando a febre significa perigo? Na maioria dos casos, o descanso e a abundância de líquidos é tudo o que é necessário quando enfrentamos uma febre. A febre aumenta a perda de líquidos, por isso é importante dar a seu filho uma abundância de fluidos, mesmo se eles não sintam sede, para evitar a desidratação. Há alguns casos, no entanto, que a febre requer atenção médica. Isso inclui: • Febre em uma criança de menos de 3 meses (em qualquer temperatura) • Febre acima de 39 graus em crianças entre 3 meses e 36 meses, se elas parecerem enfermas • A qualquer momento uma febre sobe mais de 40.1 graus Em crianças com 5 anos ou menos, a febre também podem levar a uma convulsão, conhecida como uma convulsão febril. Embora isso possa ser assustador, isso normalmente não irá causar efeitos duradouros. Durante uma convulsão febril, deve-se colocar seu filho de lado ou de barriga para baixo, afrouxar as roupas e proteger a criança para evitar traumas. Quando a crise cessa, você deve procurar atendimento médico imediatamente para certificar-se de que a convulsão não foi causada por algo além da febre, tal como uma meningite ou bactérias no sangue. Finalmente, lembre-se que deixar uma febre seguir seu curso é geralmente a melhor escolha para ajudar seu filho a combater uma infecção viral ou bacteriana… mas você também deve tomar medidas para fortalecer o sistema imunológico de seu filho para repelir agentes patogénicos sem precisar que apareça a febre, usando ferramentas como uma nutrição adequada, exercícios, alívio de stress e boa qualidade de sono. Artigo original:http://articles.mercola.com/sites/articles/archive/2011/02/03/the-benefits-of-fever.aspx